CRISE POLÍTICA NO GOVERNO DILMA ROUSSEFF: UMA ANÁLISE A PARTIR DO CONFLITO DE CLASSES

Felipe Queiroz

Resumo


O artigo analisa a crise política do governo Dilma Rousseff (PT) a partir da perspectiva de classe, observado, sobretudo, os conflitos e as contradições no interior no bloco no poder. A hipótese central é que a crise política que culminou no processo de impeachment da presidente da República não surgiu em 2014, com a disputa do pleito eleitoral, antes vem se desenvolvendo desde o primeiro mandato, e é o resultado de uma crise da política neodesenvolvimentista e que foi provocada, fundamentalmente, pela ofensiva restauradora do campo político neoliberal ortodoxo. Portanto, adotou-se como recorte temporal o período que compreende os dois mandatos da governante petista (2011-2016).


Texto completo:

PDF


 

O periódico está cadastrado no Diadorim - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras, no Portal de Periódicos da ANPOCS - Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciências Sociais, no indexador internacional Journals For Free, no Livre e no Sumários.org.

       




CSOnline - Revista Eletrônica de Ciências Sociais da UFJF - ISSN 1981-2140 -