A Linguagem e o Habitus na Compreensão da Desigualdade: aproximações teóricas entre Wittgenstein e Bourdieu

Fabrício Maciel

Resumo


O objetivo deste artigo é aproximar a filosofia da linguagem de Wittgenstein com a sociologia do habitus de Bourdieu, a partir de algumas reflexões iniciadas por Charles Taylor. Para tanto, é importante situar Wittgenstein em sua herança kantiana, bem como na virada filosófica que seu pensamento constitui ao lado de Heidegger. O valor teórico desta aproximação reside no fato de que somente uma reflexão que consiga dar conta da linguagem que pré-reflexivamente se opera em nossos corpos, ao contrário do que pensava a tradição filosófica rompida por Wittgenstein, é capaz de captar a dimensão mais sutil de uma intersubjetividade geradora de desigualdades sociais.

Texto completo:

PDF


 

O periódico está cadastrado no Diadorim - Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras, no Portal de Periódicos da ANPOCS - Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciências Sociais, no indexador internacional Journals For Free, no Livre e no Sumários.org.

       




CSOnline - Revista Eletrônica de Ciências Sociais da UFJF - ISSN 1981-2140 -